Perspectiva de um mozillian no FISL17

Imagine, seria legal poder observar por um ponto de vista diferente do seu? A intenção por trás deste post é permitir que as pessoas entendam um pouquinho mais das  alegrias que se pode ter sendo um voluntário na Mozilla. As palavras deste post são minhas, Dalmo Veras Neto (@d_verasnt), mas tenho uma certa tranquilidade para poder dizer que meus pensamentos representam a maioria dos incríveis voluntários.

Participar de eventos de tecnologia e poder defender uma ideologia bacana é algo gratificante e a nossa participação no FISL17(fórum internacional de software livre – 2017) não poderia ter sido diferente. Sem entrar muito nas entranhas da nossa participação, pretendo comentar sobre o espírito de equipe e sintonia que por lá pairavam. Após algum tempo de conversa em aplicativos e em fóruns, muitos dos voluntários se encontravam pela primeira vez. Mais legal e interessante do que conhecer novas pessoas é poder conhecer novas pessoas que defendem as mesmas causas que você e, ainda, ter que trabalhar com elas durante todo o evento. Como se todos fôssemos uma espécie de quebra-cabeça onde, cada um com a sua técnica, empatia, foco e disposição diferentes, formassem a imagem de uma comunidade. A MozillaBR.

Longe da perfeição, tivemos obstáculos e dificuldades. Precisamos bolar uma reestruturação de toda a nossa grade de palestras devido à uma infelicidade com um voluntário. Precisamos sair correndo atrás de salas para poder realizar uma conferência com um pessoal  da Mozilla de outros países. Precisamos aguentar pessoas com ideologias contrárias e que faziam questão de nos criticar. Enfim, tivemos problemas, como todos. O grande diferencial aqui foi a forma de lidar com os problemas. A forma escolhida pela equipe da comunidade que estava presente foi a mais pragmática possível: resolvê-los.

Fizemos o que fizemos de melhor, afinal, de uma maneira ou de outra, somos todos problem solvers( solucionadores de problemas). A volta foi feita e obtivemos salas incrivelmente lotadas, inclusive com filas para entrar.Pessoas vinham em nossa bancada para trocar ideias e, após terem contato com a nossa energia, pediam informações de como poderiam entrar nessa onda conosco.

No dia a dia temos uma infinidade de ferramentas. Cada ferramenta com o seu propósito definido. Numa comunidade não poderia ser diferente. Temos os: evangelistas, programadores, designers, publicitários os cineastas. Temos também os tímidos, espalhafatosos, estrategistas, líderes e os loucos. Estes presentes dentro de cada um, talvez. Mas a grande sacada é : você não colocaria um publicitário para programar um software e vice-versa. Do mesmo modo, você não usa um martelo para parafusar um parafuso. Usa? A qualidade da ferramenta, ou das pessoas, tem que ser medida pelo que ela faz de melhor, pela sua natureza. Agora conto-lhes um segredo: a MozillaBR faz isso orgulhosamente bem.

As alegrias que temos no decorrer das nossas aventuras pelos eventos nasce do simples fato de sermos livres para fazermos aquilo que queremos e fazemos com vontade e muita qualidade. Alocamos os nossos melhores recursos, as pessoas, naqueles lugares que elas escolheram. Quando perguntam “vocês fazem tudo isso por amor a camisa? “, o sorriso imediatamente toma o lugar da resposta e nada poderia ser mais certo.

Fazemos por amor a camisa. Somos livres para escolher que caminho queremos trilhar. Escolhemos fazer parte de um futuro que seja de todos e para todos, fazemos porque somos MozillaBR.

Obrigado por lerem este desabafo e que venham os próximos capítulos!!!!!

Dalmo Veras Neto (@d_verasnt).

1 comment on “Perspectiva de um mozillian no FISL17”

Post a comment

  1. Mayko Rodrigues wrote on

    Ótimo desabafo. Conseguiu colocar o espírito voluntário em poucas palavras e na alegria de trabalhar, não porque é preciso mas porque acredita.

    Reply

Post your comment